Em Gravatá, no Agreste de Pernambuco, poucas mulheres conseguiram assumir uma vaga na Câmara de Vereadores. Desde a formação da política na cidade, apenas 5 mulheres foram eleitas para o legislativo, e uma delas em especial.

Apesar de vários nomes se dispusessem a concorrer nas eleições municipais, as candidatas sempre enfrentaram o receio dos eleitores, que sempre analisavam os diversos fatores, desde a preparação para assumir uma cadeira na tão famosa Casa Elias Torres (Casa do Povo), até a conquista do voto, o famoso corpo a corpo, olho a olho, voto a voto.

O Política PE analisou cada documento disponibilizado pelo TRE-PE, ao nosso documentário, onde comprovam os resultados oficiais das eleições em Gravatá, desde o período de 1898 2018.

A Participação Feminina no Legislativo Municipal:

Podemos dizer de fato, que a Casa Elias Torres iniciou sua história com uma guerreia no comando. Josefa de Oliveira Costa, conhecida na cidade como (Dona Zezinha), foi a primeira vereadora de Gravatá que além de assumir o cargo como vereadora, torno-se a primeira presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Gravatá, sendo homenageada em 23 de Novembro de 2000, através da resolução Nº322/2000, onde nomeia a Sala das Sessões da Casa Elias Torres, com seu nome. Ela foi eleita em 1982.

Depois de Josefa, foi a vez de, Severina Ferreira da Silva, conhecida na Zona Rural como Silvia de Mandacaru, se tornar vereadora de Gravatá no ano 2000. A sequência continua com, Ana Maria Santos Silva, mais conhecida na cidade como, Ana de Jaci, eleita em 2008.

Já em 2012, duas mulheres garantiram cadeiras na casa do povo. A mais votada foi, Angelica de Arruda Santana, eleita como, Angelica de Ademir de Gonçalo, seguida por, Sônia Maria de Souza, mais conhecida pelos eleitores como, Dona Sônia, sendo a última vereadora eleita em Gravatá até o momento.

Eleições 2016:

Nas eleições de 2016, nenhuma mulher foi eleita ou reeleita, apesar que diversos nomes foram apresentados aos eleitores, que decidiram escolher 15 homens para assumir o legislativo.

Eleições de 2020:

As eleições de 2020 se aproximam, e desta vez, os partido deveram reservar a cota mínima de 30% para as mulheres. Está proibida a candidatura avulsa, ainda que a pessoa seja filiada a algum partido.

Com isso, é previsto que a presença feminina nestas eleições, seja mais evidente do quem anteriormente. Hoje, a Câmara de Vereadores de Gravatá tem 15 vagas, podendo se estender para 17 vagas, o que ampliaria as chances.

Deixe sua opinião!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS

- - anuncie aqui - -

Anuncie