Seguir
( 0 Seguidores )
X

Seguir

E-mail : *

A funcionária da Câmara de Vereadores de Gravatá, “Wandra Cíntia“, procurará a Justiça na manhã desta segunda-feira (21), para mover uma ação contra pessoas que fizeram publicações em redes sociais, utilizando a sua FOTO.

Entre as pessoas, uma conselheira fiscal do IPSEG de Gravatá, também será denunciada após ter feito uma publicação em seu perfil público na rede social “FACEBOOK“, difamando e insinuando que a funcionária teria um caso com um vereador daquela cidade.

Após a publicação do TEXTO feito pela conselheira, uma MONTAGEM com a FOTO da FUNCIONÁRIA e de um VEREADOR ‘que não terá seu nome revelado por segurança‘, seguido do texto “O Caso da Funcionária que abalou as estruturas da Câmara Municipal de Gravatá”, foi compartilhado em grupos de WhatsApp.

Segundo informações que circulam nos corredores da Câmara de Vereadores, há um vereador de oposição por trás destas publicações. Caso que será investigado. O vereador que também foi difamado moverá ação contra quem publicou e fez a montagem.

Tem pessoas ligadas a oposição e até mesmo colegas parlamentares querendo me complicar com inverdades, mais a população me conhece e sabe que isso não passa de mentiras que serão investigadas“. disse o vereador.

Segundo populares; a Conselheira participa do grupo de oposição e passa a maioria do dia atacando atual gestão municipal, funcionários e até quem discorda de suas opiniões.

Desde sábado (19), o caso vem sendo analizado por advogados, onde print’s, links das publicações, e compartilhamentos feitos em grupos de WhatsApp, foram arquivados como prova e seguirá para a justiça.

Calúnia

Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:

Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

§ 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.

§ 2º – É punível a calúnia contra os mortos.

Difamação

Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Injúria

Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

§ 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:

I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;

II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.

§ 2º – Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.

§ 3o Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)

Pena – reclusão de um a três anos e multa.(Incluído pela Lei nº 9.459, de 1997)

Deixe sua opinião!