GRAVATÁ: Uma cidade sem o Apoio do Governo Estadual na Saúde e Segurança

101705
Governador Paulo Câmara (PSB). Foto: divulgação

Ainda na Gestão “Bruno Martiniano“, o Governo do Estado de Pernambuco, maquinou e planejou como agiriam em Gravatá, caso o então ex-prefeito cai-se. O que de fato aconteceu. Bruno foi afastado e logo o governo agiu para que o VICE-PREFEITO “Rafael Prequé” não assumisse.

No lugar de Rafael, (um ex-vice-prefeito eleito pelo voto popular), uma INTERVENÇÃO ASSUMIU. Intervenção essa, liderada pelo GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO, que nomeou o então CORONEL “Mário Cavalcante“.

Em 2017, o prefeito eleito, Joaquim Neto (PSDB), assume a prefeitura, e o que ele encontra é então preocupante. Joaquim encontrou uma cidade cheia de buracos, ruas com os nomes trocados, e com solicitações de calçamentos para ruas que não foram executadas pelas gestões passadas.

Joaquim assumiu o desafio de reergue a cidade, e trazer de volta aquele turismo que ele mesmo construiu, e logo em seguida foi destruído pelas duas últimas gestões, além de alavancar o comércio, destravar a construção civil, fazendo a catraca girar, e uma nova cidade ressurgir das cinzas.

Mas, no mesmo ano (2017), Joaquim começa e encontrar dificuldades quanto ao Governo do Estado, que começa um embate, cortando verbas da Saúde, Segurança, dentre outras, e Joaquim teve que buscar recursos FEDERAIS para poder suprir tudo, já que o GOVERNO DO ESTADO não estava cumprindo com suas OBRIGAÇÕES.

Uma perseguição ESTADUAL foi iniciada, e o principal foco foi a Educação, quer teve várias escolas fechadas, alunos sem estudar e a principal escola do Bairro Novo, (ESCOLA GRAVATÁ), então estadual, RECEBEU AVISO DE FECHAMENTO, o que desesperou os professores, diretores e os alunos.

Outro assunto polêmico, mas de posse do GOVERNO ESTADUAL, é a COMPESA, empresa esta que presta serviços de abastecimento de água em Gravatá e em todo estado de Pernambuco.

Há um jogo político, pessoas brincando com a água do nosso município, manipulando em tempos de eleição. Nossa reportagem percorreu todas as barragens que abastecem a cidade de Gravatá e cidades vizinhas, para mostrar que existe água suficiente para abastecer 2 Gravatá se quisesse.

Diariamente há reclamações sobre a falta do abastecimento, e a população vai sofrendo com mais esse descaso sobre o poder do ESTADO.

Desde que o Governador do Estado de Pernambuco “PAULO CÂMARA“, assumiu a Palácio Campo das Princesas, a Agência da Caixa Econômica Federal de Gravatá foi arrombada 2 vezes, por BANDIDOS FORTEMENTE ARMADOS, DE FUZIL, METRALHADORAS e PISTOLAS, sem falar nas BANANAS DE DINAMITE, que eles utilizaram para EXPLODIR OS CAIXAS ELETRÔNICOS. O PRIMEIRO OCORREU EM 05 DE MARÇO DE 2015 e o SEGUNDO nesta última quinta-feira (20/09/2018).

Vemos em matérias, jornais, televisão que o Governador diz que investiu em policias, viaturas para as cidade de Pernambuco, mas aqui em Gravatá, cade a segurança que tando o senhor fala em seus guias eleitorais ?

Sabemos que a nossa polícia está sucateada, não há investimento para as delegacias, para os policiais de modo geral. Como o SR. quer que a polícia combata o crime? sem investimento que é de sua obrigação?.

Infelizmente, Gravatá está esquecida pelo GOVERNADOR, prova disso que ele não veio mas aqui, pois sabe que o povo acordou faz tempo. Queremos um Governador que realmente trabalhe pelo povo e para o povo, e não beneficiando aos seus pares (SANGUE-SUGA DO DINHEIRO PUBLICO).

Esse é um desabafo de um Gravataense politizado. 

Deixe sua opinião!