Nos corredores do palácio Campo das Princesas, o que se fala é na possível junção de Waldemar Borges com o ex-prefeito de Gravatá, Ozano Brito, que na última sexta-feira (15), esteve em Gravatá.

Ozano atualmente é o presidente municipal do PSB de Gravatá, que antes estava sob comando do também ex-prefeito Luiz Prequé. Waldemar sempre cita Gravatá em suas conversas, mas algo vem chamando a atenção dos leitores do Política PE.

Nas eleições de 2016, Junior Darita, que era do PTB de Armando Monteiro, deixou o partido para se aventurar no PSB de Wal sobre a proposta de lhe fazer candidato nas eleições de 2020 em Gravatá. Darita conseguiu transmitir uma quantidade de votos considerável, sendo um dos principais responsáveis pela votação de Waldemar em Gravatá.

De contra partida, o ex-vice-prefeito de Gravatá, João Paulo, que antes era do PDT de Wolney Queiroz, deixou o partido para se aventurar no PSB, antes de Darita. Atualmente, vem sendo escanteado politicamente desde a aquisição de Darita ao PSB.

Se houver mesmo a junção de Wal e Brito, tanto Darita quanto João Paulo ficaram sem opções, a não ser, deixar o partido e seguir em uma nova sigla, caso queiram tentar uma possível candidatura nas eleições de 2020.

Há relatos que de João Paulo anda meio pensativo quanto ao seu atual quadro no PSB. As soluções seriam a possível junção de João Paulo com o atual prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB), ou ficar neutro e deixar o barco seguir, ou mudar realmente de sigla como já foi cogitado.

Para Darita, um retorno ao PTB não está descartado, tudo dependerá das próximas cenas desta novela pernambucana.

Enquanto isso, a cadeira de prefeito estar ocupada por Joaquim, que segue sua gestão de forma transparente. Para alguns críticos da oposição, a possível releição do atual prefeito e tida como certa.

Deixe sua opinião!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS

- - anuncie aqui - -

Anuncie