Supremo Tribunal Federal (STF) devolve controle do MDB a Raul Henry

104
Imagem\Internet

Uma nova reviravolta na disputa pelo controle do MDB no estado. Dois dias depois de a executiva nacional aprovar, por 17 votos a 6, a dissolução do diretório do partido em Pernambuco e a criação de uma comissão provisória para comandar a legenda, liderada pelo senador Fernando Bezerra Coelho, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, concedeu liminar suspendendo a última decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Admar Gonzaga Neto. Assim, o MDB pernambucano volta para o comando do vice-governador Raul Henry.

Eles não têm nenhum fundamento que pese contra nós“, disse o vice-governador após a decisão de Gonzaga. Raul havia garantido que, tanto ele quanto o deputado federal Jarbas Vasconcelos continuarão no MDB e enfrentarão todas as etapas do processo judicial. “Estamos confiantes de que a Justiça não irá permitir essa indecência e essa violência contra o MDB de Pernambuco“, ressaltou.

Ao receber a notícia na noite desta sexta-feira (23), Jarbas disparou: “Sigo confiando na Justiça pra evitar as consequências da era Jucá à frente do MDB“. O senador Romero Jucá é o presidente nacional do partido e articulador principal da dissolução do diretório em Pernambuco. Em dezembro, ele já havia sido alvo de duras críticas do líder pernambucano. “Se pudesse qualificar Romero em uma única palavra, deixo-a registrada nos anais da Câmara: é um crápula!”, definiu Jarbas – que também classificou a ação política de Fernando Bezerra com um ato de “deslealdade e traição” ao “gesto de boa vontade” do partido em filiá-lo.

A intenção da executiva nacional era que a comissão provisória funcionasse por um prazo de 90 dias. Fernando Bezerra faz parte do movimento Pernambuco Quer Mudar, grupo de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB).

Deixe sua Opinião